IC

Notas Introdutórias para os Pleiteantes: Iniciação Científica – Sem Bolsa – Para alunos USP e de outras Universidades (de qualquer estado do Brasil).

Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo

Laboratório de Comportamento Motor – Prof. Dr. Luciano Basso


Considerações Inciais sobre a Iniciação Científica

  1. Entende-se que seja preciso desde os primeiros anos da graduação que os estudantes se aproximem da cultura científica, mais especificamente, que tenham contato com as diferentes formas de produzir o conhecimento científico; A sala de aula geralmente traz a ciência como um produto pronto e acabado, mas o maior legado da Universidade é possibilitar os alunos se aproximarem da produção do conhecimento;
  2. A Iniciação Científica (IC) é uma modalidade de pesquisa acadêmica desenvolvida por alunos de graduação. O estudante que se dedica a esta atividade possui pouca ou nenhuma experiência em trabalhos ligados à pesquisa científica, por isso o caráter de “iniciação”, e assim, representa o seu primeiro contato com tal prática. Os alunos terão o desenvolvimento de seus estudos orientados pelo Prof. Dr. Luciano Basso, membro do Laboratório de Comportamento Motor da Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (LACOM – EEFE USP);
  3. O presente programa de IC é organizado pela Comissão de Pesquisa da EEFEUSP e estará vinculado ao Laboratório de Comportamento Motor. O projeto está inserido na linha de pesquisa de Diagnóstico e Análise do Desenvolvimento Motor, mais especificamente, no âmbito do estudo das habilidades motoras básicas ao longo da infância e adolescência. Esta modalidade de IC é realizada sem bolsa de estudos;  
  4. Um aspecto importante para a IC diz respeito ao processo de preparação do aluno. A preparação constará tanto de aspectos procedimentais quanto conceituais. Há um conjunto de atividades organizadas que auxiliam o aluno nesta preparação (Figura 1). Entende-se que ao passar por este processo o aluno terá melhores condições de realizar as escolhas para estruturar o seu projeto de IC. A preparação é realizada por estágios, com isso, o aluno que realizar os dois estágios de preparação receberá certificado do Laboratório de Comportamento Motor EEFEUSP descrevendo suas atividades e horas. Com os dois certificados (Estágio I e II), o aluno poderá realizar seu projeto e tentar concorrer a IC; 
  5. Requisitos para se inscrever: a) o aluno deve estar regularmente matriculado em uma faculdade/universidade – preferência para alunos da área de educação física (licenciatura ou bacharelado) e/ou esporte; b) O aluno não pode estar vinculado a outro programa de iniciação científica; c) o aluno pode já ter terminado outra graduação; d) ter pelo menos 12 meses de vínculo para realizar a IC – a partir do aceite da comissão de pesquisa do seu projeto – fluxo contínuo, assim pode submeter a qualquer data; e) será dado preferência aos alunos que não tenham reprovação e já cursaram disciplinas com conteúdo de desenvolvimento motor – ter mais de 2 reprovações impede de realizar a IC; f) ter realizado o estágio I e II no Lacom; g) Caso o aluno seja residente em São Paulo, as atividades serão realizadas no LACOM e no Esporte Clube Pinheiros (com reuniões de estudo às sextas feiras – das 8:00 as 11:30 e das 13:30 as 16:30 no LACOM); h) Caso o aluno não resida em São Paulo é possível estabelecer condições para que realize as atividades (estágios e a IC) à distância, com interações via Skype -no entanto, é necessário organizar momentos de presença; i) ter pelo menos 5 períodos (manhãs ou tardes) semanais para atuar em conjunto nas atividades – por 12 meses;
  6. Condições: O aluno será membro do Laboratório de Comportamento Motor da EEFEUSP e poderá participar das suas reuniões – pessoalmente ou via Skype – realizada às sextas feiras de manhã. Reuniões sobre demais assuntos podem ser agendadas sempre que necessário. Poderá usufruir da infraestrutura do LACOM para seus estudos, assim como retirar livros na biblioteca e acessar a base de periódicos mantidos pela USP; O resumo do trabalho poderá ser apresentado no próximo Congresso Brasileiro ou Paulista de Comportamento Motor; Ao final da IC o trabalho deverá ser apresentado no Congresso de Iniciação Científica USP/UNICAMP/UNESP, Simpósio de Pesquisa da EEFE ou SIICUSP;
  7. Dada a natureza do programa de IC, espera-se desenvolver com o aluno experiências iniciais de leitura, reflexão e discussão no campo da ciência, educação física, elaboração de programas de educação física para a infância, desenvolvimento motor e a temática específica do presente projeto. Mais especificamente, espera-se conseguir auxiliar ao aluno de IC a iniciar o seu desenvolvimento nos seguintes âmbitos: 
    1. Fundamentos sobre o desenvolvimento do conhecimento científico;
    2. Elaboração de resenhas e fichamentos sobre trabalhos científicos;
    3. Entendimento dos diferentes métodos utilizados na pesquisa científica;
    4. Fundamentos teóricos sobre o desenvolvimento motor na infância;
    5. Interpretação das evidências do desempenho das habilidades motoras básicas;
    6. Análise estatística referente ao seu projeto de estudo;
    7. Pensamento lógico e técnico contido em uma linguagem de programação;
    8. Divulgação dos fundamentos e resultados sobre temas relacionados ao desenvolvimento motor no laboratório e em seminários e congressos por meio de apresentação oral;
    9. Discussão do seu trabalho com demais ICs;
  As ações mais típicas ao longo do processo são: 
  • Leitura e fichamento de material bibliográfico na área da ciência, educação física; desenvolvimento motor; padrões fundamentais de movimento;
  • Discussão em grupo sobre a temática do presente projeto;
  • Apresentação oral do projeto no laboratório– via Skype se necessário;
  • Análise de vídeo e classificação do estágio motor de crianças e adolescentes;
  • Análise e interpretação dos resultados;
  • Elaboração de relatórios sobre o estudo;

As etapas de Preparação

Para realizar a inscrição da IC espera-se que o aluno realize dois estágios e depois aa fase de preparação do Projeto:   

Estágio I:
  • Treinamento Coleta: O aluno passará por um treinamento técnico/conceitual dos principais testes de avaliação física e motora;
  • Estudo Individual: A partir de um conjunto de referências bibliográficas o aluno irá realizar fichamentos, resumos, resenhas com o objetivo de relembrar e atualizar seus conhecimentos sobre desenvolvimento motor. Serão apresentadas orientações do material e formas de realizar, assim como feedback do estudo;
Estágio II: 
  • Coleta e Análise:
    • O aluno irá auxiliar na coleta de dados que subsidiará o seu futuro projeto de IC;
    • O aluno irá iniciar o treinamento e realizará a análise de informação que subsidiará o seu futuro projeto de IC;
  • Estudo Dirigido: Após o aluno mostrar-se competente em seus estudos individuais, passará a estudar também com companhia dos diferentes alunos e professores envolvidos no projeto;
 
Preparação IC:
  • Neste momento o aluno já mostrou seu envolvimento e comprometimento nas atividades individuais e em grupo e receberá a permissão para elaborar seu projeto de IC dentro da temática combinada – veja texto abaixo. Com isso, passará a discutir seu projeto no laboratório e receber orientações para a escrita do mesmo. O projeto pronto será submetido à comissão de pesquisa da EEFEUSP. Se aceito, o aluno passa a desenvolver suas atividades por pelo menos 12 meses.

Notas sobre a Temática  

As transformações ocorridas na forma de viver trouxeram diferentes implicações na capacidade de movimentar-se do ser humano. Uma delas tem sido relacionada ao aumento nas taxas de prevalência de crianças com dificuldades motoras (Vandorpe et al, 2009), o que pode ser expresso nas indicações de uma tendência secular no declínio do desempenho das habilidades motoras na infância (Roth et al, 2010). Tais implicações chamam a atenção não só de pesquisadores da área do desenvolvimento motor como também de educadores de uma forma geral, pois a capacidade de movimentar-se está associada tanto ao desenvolvimento de diferentes domínios do desenvolvimento (Thelen & Smith, 1994, Piaget, 1975), quanto ao comprometimento futuro do bem estar e saúde das pessoas (Malina e Bouchard, 2002). Ressalte-se que pesquisas sobre essas questões no Brasil são bastante recentes, mas já se sabe que há alta prevalência de crianças que não atingem os patamares esperados em termos motores (Cattuzzo e Pelegrini, 1991; Souza et ali, 2007;  Berleze et ali, 2007; Marques e Catenassi, 2005, Valentini, 2008).

Roberton (1989) expressa que uma questão crucial do ponto de vista profissional diz respeito aos professores não possuírem critérios para identificar os fatores a serem considerados na análise e escolha das tarefas, bem como para estabelecer o grau de dificuldade das mesmas, adequando tarefa e sua complexidade aos alunos. Ao mesmo tempo os aspectos teóricos partem da concepção de que o desenvolvimento é um processo que resulta de interações entre organismo, seus subsistemas e o ambiente. Por outro lado, não é nada claro como essas interações ocorrem. Desta forma, as dúvidas do âmbito profissional e as questões sobre os mecanismos do desenvolvimento parecem estarem intimamente conectadas.

O presente projeto parte da concepção de que para se ter uma intervenção profissional subsidiada pelos referenciais teóricos atuais se faz necessário obter melhor entendimento de como as habilidades motoras básicas adquiridas logo no início da infância vão se tornando mais complexas. E assim, o foco do estudo está em entender o processo de mudança destas habilidades considerando as relações entre e intra tarefas ao longo da idade e experiência.

Temática 1 – Saúde

  1. As crianças não alcançam a Maestria nas HMB ao final da infância ;
    1. Componentes limitadores do alcance da maestria;
    2. Restrições e preditores da maestria;

Temática 2 – Natação

  1. O DM aquático ocorre por estágio?
  2. Os estágios de DM apresentados por estudos EUA aparecem no Brasil?
  3. Quantas trajetórias existem?

Temática 3 – Esporte

  1. Efeito da Especificidade da Prática no DM HMB
    1. Aulas extras educação física é melhor? e na maestria?
    2. Tênis, Futebol, Judô na infância: efeitos diferentes no DM?
  2. Habilidades Motoras Combinadas
    1. Influência da Maestria das HMB?
    2. Influência das HMC no Judô, Futebol e Tênis

Formulário de Inscrição

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s