KTK

Nesta página você encontrará informação sobre o Korperkoordinations Test fur Kinder (KTK), desde aspectos envolvidos na coleta até pequenas sínteses sobre os aspectos conceituais e evidências sobre a coordenação motora global concebida pelos alemães Schilling e Kiphard (1974). Esta página é mantida pelo Laboratório de Comportamento Motor da EEFE e o PET EEFE, ambos da Universidade de São Paulo e demais parceiros. Ao longo desta página você encontrará:

  • Informação Sobre Coleta de Dados:
    • Material de apoio ao avaliador;
    • Vídeo exemplificando a coleta;
    • Vídeos de situações comuns ao longo da coleta;
    • Formulário para treinar sua análise nas 4 provas;
  • Síntese do conhecimento gerado a partir de estudos com KTK;
  • Bibliografia envolvendo KTK;

COLETA DE DADOS

Material de coleta do Avaliador do Korperkoordinations Test fur Kinder (KTK): Material de apoio a COLETA: Versão estruturada a partir de diferentes materiais e conversa com os orientandos dos autores – atualização 29/10/2018.

Sugestão de ficha para anotação dos dados: Modelo para TREINO e para COLETA

Videoteca: Vídeos com a apresentação dos protocolos de coleta de cada teste e coletânea de vídeos de situações simuladas de tentativas bem realizadas e com os principiais erros.

PROTOCOLO de aplicação do KTK: Vídeo único – sem áudio 

  • Transposição Lateral – em construção
  • Equilíbrio dinâmico – em construção
  • Salto Monopedal – em construção
  • Salto Lateral – em construção

SITUAÇÕES SIMULADAS:

Vídeos e formulário para treinar a observação do desempenho a partir de tentativas bem realizadas e com os principais erros. Ao responder os formulários, com a pontuação e justificativa, nos prontificamos em enviar o feedback sobre suas análises – por e-mail.

Análise dos Dados

Após realizar a coleta de dados, você pode inserir os resultados nas planilhas abaixo. Com isso, geramos os resultados do teste e enviamos para o seu e-mail. Os dados ficam em sigilo e apenas acessíveis pelo Prof. Dr. Luciano Basso. Para utilizar, por favor, envie email para lucianob@usp.br para informar quando irá inserir a informação e a data para devolução. Não é cobrado nenhum valor.

O que a Ciência tem a dizer sobre o KTK

A partir da literatura envolvendo Korperkoordinations Test fur Kinder APRESENTAMOS em tópico os principais resultados sobre a Coordenação Motora Global. (em construção)

  1. O KTK apresenta baixa associação com TGMD2. A discussão é que são facetas diferentes do domínio motor

Bibliografia referente ao Korperkoordinations Test fur Kinder – atualizada em 14 de fevereiro de 2018

A ideia é agrupar os trabalhos com o Korperkoordinations Test fur Kinder, ou seja, ter num único espaço a maior quantidade de referências relacionadas a coordenação motora global inferida pelo KTK. Tornando este espaço um ambiente que auxilie o desenvolvimento das ideias sobre o conceito de coordenação motora global. Os trabalhos estão organizados em ordem alfabética, distribuídos em dois grupos: artigos e dissertações/teses. Ao final da referência há um link com o pdf e há indicação de uma das quatro áreas que o trabalho enfoca, são elas:

  • #natureza: aspectos conceituais, discussão sobre a natureza da coordenação, análise da validade da bateria e valores de referência da bateria KTK (normas e percentis);
  • #desenvolvimento: aspectos desenvolvimentais da coordenação motora global;
  • #fator: fatores que afetam a coordenação motora global (p.exe. IMC, sexo; nível econômico, etc.);
  • #programa: efeito de programas de educação física e esporte sobre a coordenação motora globla.

Se você conhece algum trabalho que não está listado abaixo, por favor, envie para lucianob@usp.br. Se entender que algum trabalho não deve estar nesta página, por favor, nos comunique no mesmo e-mail. Os textos grifados em azul são os fundamentais  para cada área (sugere-se a sua leitura primeiro).

Artigos Publicados

  1. Antunes, António M.; Maia JAR; Gouveia, E.; Thomis, Martine; Lefevre, Joahn; Teixeira, A. Q.; Freitas DL. Change, stability and prediction of gross motor co-ordination in Portuguese children. Annals of Human Biology, v. 43, p. 201-211, 2015. #desenvolvimento antunes et al.. 2015
  2. Antunes, António M.; Maia, José A.; Stasinopoulos, Mikis D.; Gouveia, Élvio R.; Thomis, Martine A.; Lefevre, Johan A.; Teixeira, Alexandra Q.; Freitas, Duarte L. Gross motor coordination and weight status of Portuguese children aged 6-14 years. American Journal of Human Biology, v. n/a, p. n/a-n/a, 2015. #fator Antunes et al. 2015
  3. Bardid, F., Huyben, F., Deconinck, F. J., De Martelaer, K., Seghers, J., & Lenoir, M. (2016). Convergent and Divergent Validity Between the KTK and MOT 4-6 Motor Tests in Early Childhood. Adapt Phys Activ Q, 33(1), 33-47.#natureza Bardid-2016
  4. Basso, L., Souza, C. J. F., Araújo, U. O., Meira Júnior, C. M., Oliveira, J. A., Prista, A.,. .. Maia, J. A. R. (2012). Olhares distintos sobre a noção de estabilidade e mudança no desempenho da coordenação motora grossa. Rev. Bras. Educ. Fís. Esporte, 26,493. #desenvolvimento Basso-2012 
  5. Baumann, C., Loffler, C., Curic, A., Schmid, E., & von Aster, M. (2004). Motor skills and psychiatric disturbances in children. Psychiatrische Praxis, 31(8), 395-399. doi:DOI 10.1005/s-2004-814870 #natureza – em alemão – Baumann-2004
  6. Bustamante, A.; Caballero, L; Sarria, N.E.; Maia JAR. Coordinacíon motora: influencia de la edad, sexo, estatus socio-económico y niveles de adiposidad en niños peruanos. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano (Impresso), v. 10, p. 25-34, 2008. #fator Bustamante et al., 2008
  7. Camachoaraya, T., Woodburn, S., & Boschini, C. (1990). Reliability of the prueba-de-coordinacion-corporal-para-ninos (body coordination test for children). Perceptual and Motor Skills, 70(3), 832-834. #natureza Camachoaraya-1990
  8. Catenassi, F. Z.; Marques, I.; Bastos, C. B.; Basso, L.; Roque, I. R.V.; Gerage, A. M. Relação entre índice de massa corporal e habilidade motora grossa em crianças de quatro a seis anos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 13, n. 4, p. 227-230, 2007. #fator Catenazi, 2007
  9. Chaves, R. N.; Baxter-Jones, A.; Gomes, T.; Souza, M.; Pereira, S.; Maia, J A R. Effects of Individual and School-Level Characteristics on a Child´s Gross Motor Coordination Development. International Journal of Environmental Research and Public Health, v. 12, p. 8883-8896, 2015. #fator Chaves et al. 2015
  10. Chaves, R.; Tani G; Souza, M.; Santos, D.; Maia JAR. Variabilidade na coordenação motora: uma abordagem centrada no delineamento gemelar. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte (Impresso), v. 26, p. 301, 2012. #natureza Chaves et al. 2012
  11. Chaves, R., Tani, G., Souza, M., Baxter-Jones, A., & Maia, J. (2013). Desempenho coordenativo de crianças: construção de cartas percentílicas baseadas no método LMS de Cole e Green. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 27(1), 25-42. #natureza Chaves-2013
  12. Chaves, Raquel Nichele; Bustamante Valdívia, Alcibíades; Nevill, Alan; Freitas, Duarte; Tani, G.; KATZMARZYK, PETER T.; Maia JAR. Developmental and physical-fitness associations with gross motor coordination problems in Peruvian children. Research in Developmental Disabilities, v. 53-54, p. 107-114, 2016. #fator Chaves et al. 2016
  13. Chaves, Raquel Nichele; Baxter-Jones, Adam; Maia, José António Ribeiro. Valores normativos do desempenho motor: Construção de cartas percentílicas baseadas no método LMS de Cole & Green. Motricidade, v. 10, p. 60-76, 2014. #natureza Chaves et al. 2013
  14. Cools, W., Martelaer, K. D., Samaey, C., & Andries, C. (2009). Movement skill assessment of typically developing preschool children: a review of seven movement skill assessment tools. J Sports Sci Med, 8(2), 154-168. #natureza Cools-2009
  15. D’Hondt, E., Deforche, B., Gentier, I., De Bourdeaudhuij, I., Vaeyens, R., Philippaerts, R., & Lenoir, M. (2012). A longitudinal analysis of gross motor coordination in overweight and obese children versus normal-weight peers. International Journal of Obesity, 37(1), p. 61-67. #fator dhondt-2012
  16. D’Hondt, E., Deforche, B., Gentier, I., Verstuyf, J., Vaeyens, R., Bourdeaudhuij, I.,. .. Lenoir, M. (2014). A longitudinal study of gross motor coordination and weight status in children. Obesity, 22(6), 1505-1511.  #fator D_Hondt-2014
  17. D’Hondt, E., Deforche, B., Vaeyens, R., Vandorpe, B., Vandendriessche, J., Pion, J.,. .. Lenoir, M. (2011). Gross motor coordination in relation to weight status and age in 5-to 12-year-old boys and girls: a cross-sectional study. International Journal of Pediatric Obesity, 6(2-2), E556-E564.  #fator DHondt-2011 
  18. D’Hondt, E., Gentier, I., Deforche, B., Tanghe, A., De Bourdeaudhuij, I., & Lenoir, M. (2011). Weight Loss and Improved Gross Motor Coordination in Children as a Result of Multidisciplinary Residential Obesity Treatment. Obesity, 19(10), 1999-2005. #fator  #programa   Hondt 2011
  19. Debrabant, J., Gheysen, F., Vingerhoets, G., & Van Waelvelde, H. (2012). Age-related differences in predictive response timing in children: Evidence from regularly relative to irregularly paced reaction time performance. Human Movement Science, 31(4), 801-810. #fator  Debrabant-2012
  20. Deus, R. K. B. C., Bustamante, A., Lopes, V. P., Seabra, A. F. T. e., Silva, R. M. G. d., & Maia, J. A. R. (2008). Coordenação motora: estudo de tracking em crianças dos 6 aos 10 anos da Região Autônoma dos Açores, Portugal. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano, 3(10), 215-222.  #fator Deus 2008
  21. Deus, R., Bustamante, A., Lopes, V., Seabra, A., Silva, R., & Maia, J. (2010). Modelação longitudinal dos níveis de coordenação motora de crianças dos seis aos 10 anos de idade da Região Autônoma dos Açores, Portugal. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 24(2), 259-273.  #desenvolvimento  #fator Deus 2010
  22. Ferreira, A.C.M.; Bim, R,H.; & Pereira, V. (2012). Influência do tipo de ambiente domiciliar na coordenação motora de crianças. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, 11(2), 140-150. #fator Ferreira-2012
  23. Fransen, J., D’Hondt, E., Bourgois, J., Vaeyens, R., Philippaerts, R. M., & Lenoir, M. (2014). Motor competence assessment in children: convergent and discriminant validity between the BOT-2 short form and KTK testing batteries. Research in Developmental Disabilities, 35(6), 1375-1383. #natureza fransen-2014
  24. Freitas, D., Lausen, B., Maia, J., Lefevre, J., Gouveia, E., Thomis, M.,. .. Malina, R. (2015). Skeletal maturation, fundamental motor skills and motor coordination in children 7–10 years. Journal of Sports Sciences, 33, 924-934. #desenvolvimento freitas-2015
  25. Freitas, Duarte Luís; Lausen, Berthold; Maia, José Antonio Ribeiro; Gouveia, Élvio Rúbio; Thomis, Martine; Lefevre, Johan; Silva, Ricardo Dinis; Malina, Robert M.. Skeletal Maturation, Body Size, and Motor Coordination in Youth 11-14 Years. Medicine and Science in Sports and Exercise, v. 48, p. 1129-1135, 2016. #desenvolvimento Freitas et al. 2016
  26. Giagazoglou, H., Sidiropoulou, M., Mitsiou, M., Arabatzi, F. & Kellis, F. (2015) Can balance trampoline training promote motor coordenation and balance performance in children with development coordenation disorder?. Research in Development Disabilities, 36, 13-19. #programa  #desenvolvimento Giagazoglou – 2015 
  27. Gorla, J. I.; Araújo, P. F.; Rodrigues, J. L.; Pereira, V. R. Avaliação motora em Educação Física adaptada. São Paulo 2014. Editora Phorte 3º edição atualizada. #natureza LIVRO
  28. Gorla, J. I.; Araújo, P. F.; Rodrigues, J. L.; Pereira, V. R. O teste KTK em estudos da coordenação motora.Conexões: Revista da Faculdade de Educação Física da UNICAMP, v. 1, n. 1, p. 29-38, 2003. #natureza  GORLA 2003
  29. Gorla, J., Duarte, E., & Montagner, P. (2009). Avaliação da coordenação motora de escolares da área urbana do município de Uumuarama-Pr, Brasil. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 16(2), 57-63. #desenvolvimento Gorla-2009
  30. Gorla, J., Lifante, S., & de Souza, A. (2007). Análise da Tarefa Saltos Laterais, da Bateria KTK, em Pessoas com Deficiência Mental. Movimento e Percepção, 8(11). #desenvolvimento Gorla-2007
  31. Graf, C. & Dordel, S. (2011) Das CHILT-I projekt (Children’s healht interventionL Trial). Bundesgesundheltsbl, 54, 313-321. #desenvolvimento Graf – 2011
  32. Graf, C. & Dordel, S. (2011) Das CHILT-I projekt (Children’s healht interventionL Trial). Bundesgesundheltsbl, 54, 313-321. #programa Graf – 2011
  33. Graf, C., Koch, B., Falkowski, G., Jouck, S., Christ, H., Staudenmaier, K.,. Dordel, S. (2008). School-based prevention: Effects on obesity and physical performance after 4 years. Journal of Sports Sciences, 26(10), 987-994. #programa  #desenvolvimento graf2008
  34. Graf, C., Koch, B., Klippel, S., Buttner, S., Coburger, S., Christ, H.,. .. Dordel, S. (2003). Correlation between physical activities and concentration in children results of the CHILT project. Deutsche Zeitschrift Fur Sportmedizin, 54(9), 242-246. #desenvolvimento Graf – 2003
  35. Graf, C., Koch, B., Kretschmann-Kandel, E., Falkowski, G., Christ, H., Coburger, S.,. .. Dordel, S. (2004). Correlation between BMI, leisure habits and motor abilities in childhood (CHILT-project). International Journal of Obesit, 28(1), 22-26. #desenvolvimento Graf-2004
  36. Hanewinkel-van Kleef, Y., Helders, P., Takken, T., & Engelbert, R. (2009). Motor performance in children with generalized hypermobility: the influence of muscle strength and exercise capacity. Pediatric Physical Therapy, 21(2), 194-200. Hanewinkel-van Kleef-2009. #desenvolvimento Hanewinkel-van Kleef-2009
  37. Hebestreit, H., Schrank, W., Schrod, L., Strassburg, H. M., & Kriemler, S. (2003). Head size and motor performance in children born prematurely. Medicine and Science in Sports and Exercise, 35(6), 914-922. #desenvolvimento Hebestreit-2003
  38. Johnk, K., Kuhtz-Buschbeck, J. P., Stolze, H., Serocki, G., Kalwa, S., Ritz, A.,. .. Illert, M. (1999). Assessment of sensorimotor functions after traumatic brain injury (TBI) in childhood – Methodological aspects. Restorative Neurology and Neuroscience, 14(2-3), 143-152. #desenvolvimento  Johnk-1999
  39. Kiphard, B. J. Insuficiencias de movimiento y de coordinación en la edad de la escuela primaria. Buenos Aires: Editorial Kapelusz, 1976. #natureza  sem pdf
  40. Kretschmann, E., Lawrenz, A., Lawrenz, W., Schmitz, H., Nespethal, K., Druke, T.,. .. Bjarnason-Wehrens, B. (2002). Physical performance and motor development in obese children and adolescents. XXVII Fims: World Congress of Sports Medicine, 145-148. doi:Unsp C605c0064. #desenvolvimento  sem pdf.
  41. Laukkanen, A., Pesola, A., Havu, M., Saakslahti, A., & Finni, T. (2014). Relationship between habitual physical activity and gross motor skills is multifaceted in 5-to 8-year- old children. Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports, 24(2), E102-E110. #desenvolvimento  Laukkanen-2014
  42. Laukkanen, A., Pesola, A., Heikkinen, R., Sääkslahti, A. & Finni, T. (2015) Family-based cluster randomized contolled trial enchancing physical activity and motor competence in 4-7-year-old children. Plos One, 10 #programa  #desenvolvimento  Laukanen – 2015
  43. Lima, C. M.; Chaves, R. N.; Maia JAR. Cartas percentílicas do desempenho motor. Um estudo de caso na Escola Básica de Leça da Palmeira, Portugal.. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, v. 13, p. 38-56, 2013. #natureza Lima et al. 2013
  44. Lopes, L. C. O. (2006). Actividade física, recreio escolar e desenvolvimento motor. Estudos exploratórios em crianças do 1º. ciclo do ensino básico. (Tese de mestrado). #programa Lopes-2006
  45. Lopes, V. P. (1997). Análise dos efeitos de dois programas distintos de Educação Física na expressão da aptidão física, coordenação e habilidades motoras em crianças do ensino primário. #programa lopes-1997
  46. Lopes, V. P., Maia, J. A. R., Rodrigues, L. P., & Malina, R. (2011). Motor coordination, physical activity and fitness as predictors of longitudinal change in adiposity during childhood. European Journal of Sport Science, 12(4), 384-91 #desenvolvimento Lopes-2012
  47. Lopes, V. P., Stodden, D. F., & Rodrigues, L. P. (2014). Weight status is associated with cross-sectional trajectories of motor co-ordination across childhood. Child Care Health Dev, 40(6), 891-899. #desenvolvimento Lopes-2014
  48. Lopes, V. P.; Maia, J. A. R.Efeitos do ensino da capacidade de coordenação corporal em crianças de oito anos de idade. Revista Paulista de Educação Física, v. 11, n. 1, p. 40-48, 1997. #programa – sem pdf
  49. Lopes, V., & Luis PauloMaia, J. (2008). Motor coordination as determinant of physical activity in children: a 4-year follow-up (6 to 10 years of age). Paper presented at the 13th Annual Congress of ECSS, Instituo Politécnico de Bragrança.  #desenvolvimento lopes-2008
  50. Lopes, V., Maia, J., Silva, R., Seabra, A., & Morais, F. (2003). Estudo do nível de desenvolvimento da coordenação motora da população escolar (6 a 10 anos de idade) da Região Autónoma dos Açores. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 3(1), 47-60. #desenvolvimento  Lopes 2003
  51. Lopes, V., Rodrigues, L., Maia, J., & Malina, R. (2011). Motor coordination as predictor of physical activity in childhood. Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports, 21(5), 663-669. #desenvolvimento  Lopes-2011
  52. Lopes, V., Stodden, D., Bianchi, M., Maia, J., & Rodrigues, L. (2012). Correlation between BMI and motor coordination in children. Journal of Science and Medicine in Sport, 15(1), 38-43. #desenvolvimento  lopes2012b
  53. Luz, L., Seabra, A., Santos, R., Padez, C., Ferreira, J., & Coelho-e-Silva, M. (2015). Associação entre IMC e teste de coordenação corporal para crianças (KTK). Uma meta-análise. Revista Brasileira De Medicina Do Esporte, 21(3), 230-235. #desenvolvimento   Luz-2015
  54. Maia JAR; LOPES, Vitor; Morais FP; GARGANTA, Rui; SEABRA, Andre. Variabilidade nos Valores de Aptidão Física Associada à Saúde e da Coordenação Motora. Um Estudo de Modelação Hierárquica. In: Adroaldo Gaya; António Marques; Go Tani. (Org.). Desporto para Crianças e Jovens. Razões e Finalidades. 1ed.Porto Alegre: Ed UFRGS, 2004, v. , p. 507-550. #fator Maia et al. 2004
  55. Maia, J. A. R.; Lopes, Vítor P. Estudo do crescimento somático, aptidão física, actividade física e capacidade de coordenação corporal de crianças do 1º ciclo do ensino básico da Região Autónoma dos Açores. Ponta Delgada: Região Autónoma dos Açores, Universidade do Porto. Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, 2002. #fator sem pdf
  56. Maia, José António Ribeiro; Santos, Daniel; De Freitas, Duarte Luis; Thomis, Martine. Physical Activity, Physical Fitness, Gross Motor Coordination, and Metabolic Syndrome: Focus of Twin Research in Portugal. Twin Research and Human Genetics, v. 16, p. 296-301, 2013. #natureza Maia et al. 2012
  57. Malafaya, C.; Tani, G.; Maia JAR. Prontidão motora. Uma revisão do conceito, operacionalização e sua aplicação no contexto escolar. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, v. 15, p. 99-114, 2015. #natureza Malafaya et al. 2015
  58. May, T. W., Baumann, C., Worms, L., Koring, W., & Aring, R. (2001). Effects of judo training on physical coordination and body sway in adolescents and young adults with multiple impairments and epilepsy. Deutsche Zeitschrift Fur Sportmedizin, 52(9), 245-251. #programa  #desenvolvimento  May – 2001
  59. Melo, M. M.; Lopes, V. P. Associação entre o índice de massa corporal e a coordenação motora em crianças.Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 27, n. 1, p. 7-13 2013. #fator sem pdf
  60. Moura-Dos-Santos, Marcos André; de Almeida, Marcelus Brito; Manhães-de-Castro, Raul; Katzmarzyk, Peter T; Maia, José António Ribeiro; Leandro, Carol Góis. Birthweight, body composition, and motor performance in 7- to 10-year-old children. Developmental Medicine and Child Neurology (Print), v. 57, p. n/a-n/a, 2014. #fator Moura et al. 2014
  61. Nobre, G., Almeida, M., Nobre, I., Santos, F., Brinco, R., Arruda-Lima, T., Vasconcelos, K., Lima, J., Neto, M., Rodrigues, E., Silva, S., Leandro, C. & Santos, M. (2017) Twelve weeks of plyometric training improves motro performance of 7- to 9-year-old boys who were overweight/obese: A randomized controlled intervention. Journal of Strenght and Conditioning Research, 31(8), 2091-2099. #programa #desenvolvimento   Nobre – 2017
  62. Pelozin, F., Folle, A., Collet, C., Botti, M., & Nascimento, J. V. d. (2009). Nível de coordenação motora de escolares de 09 a 11 anos  da  rede  estadual  de  ensino  da  cidade de Florianópolis/SC. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, 8(2), 123-132. #desenvolvimento Pelozin-2009
  63. Pratorius, B., & Milani, T. L. (2004). Motor abilities of children: Abilities of coordination and balance: examination of differences between children of different social groups. Deutsche Zeitschrift Fur Sportmedizin, 55(7-8), 172-176. #desenvolvimento  Prätorius-2004
  64. Ribeiro, A. S., David, A. C., Barbacena, M. M., Rodrigues, M. L., & França, N. M. (2012). Teste de Coordenação Corporal para Crianças (KTK): aplicações e estudos normativos. Motricidade, 8(3), 40-51. #natureza Ribeiro-2012
  65. Roth, K.; Ruf, K.; Obinger, M.; Mauer, S.; Anhert, J.; Schineider, W.; Graf, C.; Hebestreit, H. Is there a secular decline in motor skills in preschool children?Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports, v. 20, n. 4, p. 670–678, 2010. #desenvolvimento #natureza sem pdf
  66. Rudd, J.R., Barnett, L.M., Farrow, D., Berry, J., Borkoles, E. & Polman, R. (2017) Effectiveness of a 16 week gymnastics curriculum at developing movement competence in children. Journal of Science and Medicine in Sport, 20, 164-169. #programa  #desenvolvimento  Rudd – 2017
  67. Saraiva, J. P.; Rodrigues, L. P. Relações entre atividade física, aptidão física, morfológica e coordenativa na infância e adolescência. Motricidade, v. 6, n. 4, p. 35-45, 2010. #fator sem pdf
  68. Schenck, K., & Deegener, G. (1978a). Diagnostic Efficiency of Body-Coordination Test for Children (Ktk). Monatsschrift Kinderheilkunde, 126(1), 40-43. #natureza (em alemão) – sem pdf.
  69. Schilling, F., & Kiphard, E. J. (1974). Körperkoordinationstest für kinder, KTK. Weinheim: Beltz Test Gmbh. #natureza (em alemão) – Schilling-1974
  70. Silva, Simonete; Beunen, Gaston; Maia JAR. Valores normativos do desempenho motor de crianças e adolescentes: o estudo longitudinal-misto do Cariri. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte (Impresso), v. 25, p. 111-125, 2011. #natureza #desenvolvimento Silva et al. 2011
  71. Smits-Engelsman, B., Henderson, S. E., & Michels, C. G. (1998). The assessment of children with Developmental Coordination Disorders in the Netherlands: The relationship between the Movement Assessment Battery for Children and the Körperkoordinations Test für Kinder. Human Movement Science, 17(4), 699-709. #natureza Smits-Engelsman-1998
  72. Souza, C. J. F.; Basso, L.; Tani, G. Desenvolvimento da coordenação motora e atividade física. In: TANI, G. (Ed.), Comportamento motor: conceitos, estudos e aplicações. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,2016. p.217-221 #fator sem pdf
  73. Souza, M. C.; Chaves, R. N.; Lopes, V. P.; Malina, R.; Garganta, Rui; Seabra, André; Maia, José. Motor Coordination, Activity, and Fitness at 6 Years of Age Relative to Activity and Fitness at 10 Years of Age. Journal of Physical Activity & Health, v. 11, p. 1239-1247, 2014. #fator #desenvolvimento Souza et al. 2014
  74. Souza, M.; Chaves, R.; Lopes, V.; Malina, RM; Garganta, R.; Seabra, A.; Maia JAR. Motor coordination, activity and fitness at 6 years relative to activity and fitness at 10 years of age. Journal of Physical Activity & Health, v. 11, p. 1239-1247, 2014. #desenvolvimento Souza et al. 2014
  75. Steiss, J. O., Langner, C., & Neuhauser, G. (2005). Development of preterm infants at the age of 9-12 years after normal neonatal neurological examination. Kindheit Und Entwicklung, 14(3), 163-168.  #fator (em alemão) Sem pdf.
  76. Stieh, J., Kramer, H. H., Harding, P., & Fischer, G. (1999). Gross and fine motor development is impaired in children with cyanotic congenital heart disease. Neuropediatrics, 30(2), 77-82.  #fator Stieh-1999
  77. Valdivia, A. B.; Cartagena, L. C.; Sarria, N. E.; Távara, I. S.; Teixeira, A. F.; DA Silva, S. R. M. G.; Maia, J. A. R. Coordinación motora: influência de la idad, sexo, estatus socioeconômico y niveles de adiposida de niños peruanos. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano, v. 10, n. 1, p. 25-34, 2008. #fator sem pdf
  78. Vandendriessche, J. B.; Vandorpe, B.; Coelho-e-Silva, M. J.; Vaeyens, R.; Lenoir, M.; Lefevre, J.; Philippaerts, R. M. Multivariate association among morphology, fitness, and motor coordination characteristics in boys age 7 to 11. Pediatric Exercise Science,v. 23, n. 4, p. 504-514, 2011. #fator sem pdf
  79. Vandorpe, B., Vandendriessche, J., Lefèvre, J., Pion, J., Vaeyens, R., Matthys, S. a.,. .. Lenoir, M. (2011). The körperkoordinations test für kinder: reference values and suitability for 6–12‐year‐old children in flanders.Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports, 21(3), 378-388. #natureza  Vandorpe-2011
  80. Vandorpe, B.; Vandendriessche, J.; Vaeyens, R.; Pion, J.; Matthys, S.; Lefevre, J.; Philippaerts, R.; Lenoir, M. Relationship between sports participation and the level of motor coordination in childhood: a longitudinal approach. J Sci Med Sport. 2012;15(3):220-5#programa Vandorpe-2012
  81. Vidal, S., Bustamante, A., Lopes, V., Seabra, A., Silva, R., & Maia, J. (2009). Construção de cartas centílicas da coordenação motora de crianças dos 6 aos 11 anos da região autónoma dos Açores, Portugal. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 9(1), 24-35. #natureza Vidal-2009 

Dissertações e textos não publicados

  1. Araujo, M. P. d. (2011). Contribuição de Diferentes Conteúdos das Aulas de Educação Física no Ensino Fundamental I para o Desenvolvimento Motor de Crianças. (Dissertação de Mestrado), Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo. Araujo-2011
  2. Carminato, R. (2011). Desempenho motor de escolares através da bateria de teste KTK. (Mestrado), Universidade Federal do Paraná, Curitiba. Carminato-2011
  3. Gorla, J., Araújo, F., Rodrigues, J., & Pereira, V. O teste KTK em estudos da coordenação motora. Universidade Estadual de Maringá. texto não publicadoGORLA
  4. Gorla, J.I. (2001). Coordenação motora de portadores de deficiência mental: avaliação e intervenção. Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual de Campinas. #programa Gorla 2001 
  5. Lifante, Sonia Maria. (2009). Estudo da correlação entre coordenação motora e habilidades motoras de pessoas com síndrome de Down. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal de Uberlândia. Lifante 2009
  6. Lopes, L. C. O. (2006). Actividade física, recreio escolar e desenvolvimento motor. Estudos exploratórios em crianças do 1º. ciclo do ensino básico. (Tese de mestrado). Lopes-2006
  7. Lopes, V. P. (1997). Análise dos efeitos de dois programas distintos de Educação Física na expressão da aptidão física, coordenação e habilidades motoras em crianças do ensino primário. lopes-1997
  8. Ribeiro, A. S. C. (2011). Perfil da coordenação motora global de crianças pré-termo saudáveis acompanhadas por centros de ensino especial de Ceilândia-DF. (Dissertação de Mestrado), Universidade de Brasília, Brasilia Ribeiro-2011
  9. Rodrigues, M. L. (2010). Comparação do desempenho motor de crianças de duas escolas de diferentes níveis socioeconômicos. (Mestrado), Universidade de Brasília, Brasília. Rodrigues – 2010
  10. Santos, J. (2014). Aspectos da validade de conteúdo e construto de tarefas motoras. (Doutorado), Universidade do Estado de Santa Catarina, Santa Catarina. santos-2014
  11. Silva, Guilherma Augusto Soares. Análise da Coordenação Ampla(Grossa) em Crianças de 7 a 10 anos. Dissertação (Mestrado) Escola de Educação Física USP, 1989. Silva-1989
  12. Sousa, J. (2013). Associação da competência motora com a atividade física, estudo longitudinal em crianças. (Mestrado), Instituto Politécnica de Bragança, Bragança
  13. Souza, C. (2011). A relação entre coordenação motora e atividade física em crianças dos sete aos 10 anos de idade: um estudo longitudinal. (Doutorado), Universidade de São Paulo, São Paulo. souza-2011
  14. Vidal, S. (2008). Aspectos normativos, factores genéticos e ambientais na capacidade de coordenação corporal de crianças.(Mestrado), Universidade do Porto, Porto. Vidal-2008
  15. Vidal, S. (2008). Aspectos normativos, factores genéticos e ambientais na capacidade de coordenação corporal de crianças. (Mestrado), Universidade do Porto, Porto. Vidal-2008

 

Para organizar – texto retirado de: http://entwicklungsdiagnostik.de/ktk.html

O KTK representa um procedimento de teste claro e praticável, que se estabeleceu nos últimos 35 anos como uma ferramenta de diagnóstico para a revisão da coordenação de todo o corpo. A avaliação e interpretação são simples e levam apenas alguns minutos.
Apesar do uso generalizado e da facilidade de uso do método, várias críticas se tornam aparentes:

Um requisito importante para os procedimentos de teste é a atualização dos padrões (Petermann & Macha, 2005). Apesar de uma revisão do manual de testes em 2007, nenhuma nova normalização foi feita;
os presentes números comparativos reais são desde os anos 1973 e 1974. De acordo com diversos estudos, o MQ total médio em KTK a pontos de tempo designados não atingiu em 1974 a média MQ 100 a partir do ano 1974
Bos (2001) perguntas os serviços coordenativas medição exclusiva por meio de KTK: Para os sub-testes sobre o mono pedal do lado de salto e saltam para trás e para a frente, em vez da coordenação e em aspectos particulares do desempenho de força e resistência considerados como limitativos.
Praetorius (2008) lamenta o risco de ferimentos em dois dos quatro tarefas e mantém o processo de sua perspectiva difícil de ser tolerado: Quando pernas pular até 60 cm de altura obstáculos muitas crianças que se queixam de dor no pé e muitas vezes cancelar a tarefa por conta própria ,
Além disso, muitas crianças acham desconfortável se pousam acidentalmente na viga de madeira ao pular para o lado.

Anúncios